Intrínseca Resenha de Livros Suspenses

Em Águas Profundas | Patrícia Highsmith

Esgotado no Brasil há décadas, Em Águas Profundas retorna às livrarias brasileiras através da Intrínseca. A editora lançou, em dezembro de 2020, o suspense/thriller psicológico mais famoso de Patrícia Heighsmith. O livro é um prato cheio para quem curte uma história nada convencional e gosta de enredos bem costurados e intrigam leitores.

Publicada pela primeira vez na década de 1950, a obra foi encaminhada para todos os assinantes do Clube Intrínsecos e também está disponível para compra em uma edição de luxo. Em Águas Profundas faz jus a todos os comentários que recebe, pois intriga o leitor em uma narrativa super envolvente.

Enredo nada convencional

Na narrativa, Patrícia Heighsmith conduzirá o leitor à história de Vic e Melinda, um casal nada convencional. Totalmente fora de qualquer padrão da sociedade, principalmente em um mundo da década de 1950, Vic e Melinda não estão em sintonia no casamento. Tanto é que ambos possuem uma espécie de acordo, em que Melinda pode ter relações extraconjugais, desde que possam manter as aparências, mesmo que a cidade inteira perceba os problemas deste matrimônio.

E isto já é apresentado ao leitor logo nas primeiras páginas do livro. No primeiro capítulo de Em Águas Profundas, encontramos uma Melinda dançando com outros homens, enquanto Vic fica apenas olhando.

Porém, em um momento Vic parece se cansar disto e, para tentar afugentar um dos casos de Melinda, ele brinca de ser o responsável pelo assassinato de um dos casos anteriores da esposa. A história passa a circular pela cidade e teremos uma sociedade dividia entre acreditar ou não nesta história.

Única perspectiva da história

Fica difícil falar muito mais desta história sem revelar spoilers. Patrícia Heighsmith fará o leitor criar sentimentos de amor e ódio com todos os personagens e ficar imerso na narrativa. A cada página virada, fica cada vez mais difícil de largar o livro.

Mesmo que a narrativa seja contada por um narrador em terceira pessoa, vamos conhecer a história através do ponto de vista de Vic. Teremos uma visão de um personagem que tenta manter o casamento, que é um pai presente, preocupado com o funcionamento da casa e da família. Por outro lado, os fragmentos que temos de Melinda é de uma mulher desestabilizada, nada boa. Que procura na bebida um refúgio aos seus problemas e que busca outros casos em busca daquilo que não tem no próprio casamento. Fica difícil não sentir empatia por Vic. Fica difícil não sentir raiva de Melinda.

Durante a leitura torci pelo fim do casamento, bem como torci para que tudo terminasse bem. Patrícia Heighsmith traz, Em Águas Profundas, um livro nada convencional que vai prender o leitor do início ao fim. Daqueles que vale, com certeza, a leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *