Livros

O Clube do Crime das Quintas-feiras | Resenha

Já imaginou um grupo de idosos resolvendo mistérios? É justamente o que vamos encontrar em O Clube do Crime das Quintas-feiras, de Richard Osman, um dos próximos lançamentos da Editora Intrínseca.

A trama se baseia em um grupo de quatro idosos que se reúnem para discutir crimes antigos e sem solução, com o intuito de desvendar o mistério. Porém, um crime real acontece no local em que eles vivem e todos ficam alvoroçados. É claro que o desejo de desvendar esse caso aflora em cada um dos membros do Clube do Crime das Quintas-feiras.

Vale ressaltar que os membros do Clube do Crime das Quintas-feiras vivem em uma espécie de condomínio para idosos, onde antes havia um convento. Além disso, eles vivem perto o bastante de um cemitério muito antigo e que é parte fundamental no desenvolvimento desta história.

Em seu primeiro romance, Richard Osman traz ao leitor uma narrativa em terceira pessoa. Porém, encontramos algumas passagens em primeira pessoa, através da voz da Joyce. Ela é uma ex-enfermeira e a última a ingressar no Clube do Crime das Quintas-feiras. Nestas partes, encontramos trechos de um diário escrito por ela, sobre as peripécias dos idosos do clube.

Eu simplesmente achei genial o autor colocar esta parte em primeira pessoa na história, pois, como leitora, me senti ainda mais próxima dos idosos do clube e senti que, através dela, eu também estava ingressando no Clube do Crime das Quintas-feiras, e conhecendo junto com a Joyce cada um dos membros.

Mistério com diversão

Embora seja uma narrativa de mistério, me diverti muito durante a leitura do O Clube do Crime das Quintas-feiras. Fiquei, também, muito engajada tentando ligar os pontos e descobrir o mistério que ronda a história.

Além da trama principal, que é o assassinato de um empreiteiro, também temos várias outras subtramas. A história por trás de cada um dos personagens é extremamente importante para o desenvolvimento da narrativa. O autor conseguiu levantar as questões paralelas de uma forma tão boa que em nenhum momento deixa o livro cansativo. Tudo está muito bem entrelaçado.

Entre os pontos que o autor destaca está a vida dos dois policiais que estão à frente das investigações. Como eles estão passando por momentos de transformação na vida pessoal e às vezes acabam se focando mais do que deviam no trabalho para esquecer os demais problemas.

Há também a vida dos idosos, que passam por constantes mudanças na vida e cada dia a mais convivem com o luto, e como é a relação deles com os filhos e famílias. Richard Osman também mostra que todos tem segredos e que todos podem ser suspeitos de alguma forma pelo crime.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *