Veggie Food

A dieta plant-based e a redução do consumo de carne

Há um ano, mudei a minha alimentação. Não de forma radical, mas aos poucos passei a ingerir cada vez menos produtos de origem animal. Desde o dia 1º de janeiro de 2020 eu zerei o meu consumo derivados do leite e laticínios, e, em junho do mesmo ano passei a reduzir o consumo de carnes em geral.

Aos poucos fui desbravando este novo mundo de sabores que se abria para mim, e descobri que muitas refeições à base de plantas podem ser tão saborosas quanto um prato de carne. Porém, para iniciar essa mudança, consultei uma nutricionista, que me deu dicas de outros alimentos que eu deveria ingerir para ter uma dieta completa e ter a quantidade necessária de proteínas para o meu dia. Por isso, a quantidade de leguminosas, como feijões, grão de bico, ervilha e lentilha aumentou no meu prato.

Para encontrar novos sabores e receitas para testar, neste período passei a seguir uma série de perfis que compartilham receitas veganas. E encontrei muita coisa maravilhosa para comer, coisas que eu nem imaginava ser possível criar sem laticínios como base.

Mas, será que todas as pessoas que não ingerem ingredientes de origem animal são necessariamente veganas?

O veganismo é muito mais do que uma dieta, mas é um estilo de vida. Estas pessoas não consomem nenhum produto de origem animal, seja na alimentação ou qualquer outro tipo de produto. É uma ideologia, uma corrente, que visa combater a exploração animal e, por isso, exclui a presença de animais em qualquer etapa da cadeia de produção de um item.

Há também o termo plant-based, bastante utilizados por aqueles que não se encaixam no veganismo por diversos motivos. Em primeiro lugar, a alimentação plant-based foca na saúde. Os adeptos a esta dieta não ingerem produtos de origem animal, ou diminuíram drasticamente o consumo deles, para ter uma alimentação mais saudável. Neste caso, a orientação é incluir vegetais na dieta e diminuir o consumo de derivados de animais.

Dieta plant-based traz benefícios à saúde

Por ter mais foco na saúde, a dieta plant-based baseia-se em alimentos integrais, que fujam dos refinados e industrializados. Por conter mais alimentos vegetais frescos, frutas e verduras, e alimentos integrais, como aveia, quinoa, é um tipo de alimentação que fortalece o sistema imunológico.

Recentemente, um estudo publicado pela revista BMJ Nutrition, Prevention & Health divulgou que pessoas adeptas à dietas plant-based, ou que consomem apenas peixes como produtos de origem animal, tem 73% menos chance de desenvolver sintomas moderados a severos de Covid-19, quando comparados àqueles que seguem outros tipos de dieta. O estudo avaliou 2884 pessoas que trabalhavam na linha de frente do combate ao vírus em países como França, Alemanha, Itália, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.

Redução da pegada de carbono e contribuição com o meio ambiente

Independente da nomenclatura, o número de pessoas que deixam ou reduzem o consumo de produtos de origem animal vem crescendo no Brasil. Esse comportamento impacta principalmente no meio ambiente, na emissão de gás carbono na atmosfera, da redução da pegada de carbono, da redução do consumo de água e no desmatamento, por exemplo.

Uma boa forma de reduzir o consumo de carne, por exemplo, é participar da Segunda Sem Carne e, em um dia da semana, consumir apenas alimentos que tenham origem vegetal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *