Livros | Resenhas

A Gaiola de Ouro | Camilla Läckberg | Resenha

15/06/2020

Com um destaque bastante grande por toda a internet, eu fiquei bastante instigada para ler A Gaiola de Ouro, de Camilla Läckberg – lançamento da Editora Arqueiro. Tudo nele me chamou atenção: a premissa, a capa, as várias resenhas que vi sobre ele… A questão é: será que o livro funcionou tão bem assim para mim?

A história de Camilla Läckberg se passa em Estocolmo, na Suécia e tem uma trama bastante envolvente sim. Somos apresentados à Faye, uma mulher que deixa a sua cidade natal e se muda para Estocolmo com o objetivo de estudar e iniciar uma nova vida.

O livro é narrado através de três linhas do tempo diferentes. Temos o futuro – que já aparece na primeira página e nos mostra que uma tragédia aconteceu com Faye. Em seguida temos a linha que nos narra o presente e a outra que nos conta o passado da protagonista – que não foi nada fácil.

Este livro me despertou um mix de emoções, principalmente o ódio contra Jack, o marido da Faye. Eles tem o que parece uma vida perfeita: são casados e, juntos, tem uma filha pequena, a Julliene. Porém, o que percebemos é um casamento em ruínas e já fadado ao fim.

Jack é ruim para Faye, agressivo em palavras e atos… Neste ponto a autora coloca uma crítica sobre a corrida das mulheres para terem o corpo perfeito e agradar os maridos e à sociedade…

A premissa do livro é que Faye acaba abandonada por Jack, trocada por uma mulher mais nova, e fica sem nada. Nem mesmo tem direito a parte da empresa que Jack construiu enquanto eles estavam casados.

Em meio à tantas tragédias e ao lado de um péssimo marido, acabamos compadecidas por Faye e torcendo para o plano de vingança dela dê certo. Porém, em muitas cenas, percebemos que ela não é quem parece ser e nem flor que se cheire. Teve algumas cenas que nem mesmo acreditei no que estava lendo e, só então, compreendi a frieza de Faye.

A leitura de A Gaiola de Ouro foi boa, fluída e bastante rápida de ser feita. Embora tenha alguns pontos negativos, em geral gostei bastante do livro. Camilla Läckberg conseguiu despertar várias sensações em mim, algo que poucos textos tem conseguido ultimamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *